sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Classic Album: Running Wild - Under Jolly Roger

Na sessão Classic Albums pretende-se homenagear as obras que merecem ser relembradas. Aqueles álbuns que consideramos fundamentais para os ouvintes de Heavy Rock...


Running Wild - Under Jolly Roger

Por João Rafael Gualberto

Em minha primeira resenha escolhi um disco clássico do Heavy Metal dos 80. Under Jolly Roger (1987, Noise Records), 3º álbum da banda alemã Running Wild, é um disco que carrega o peso característico da ‘velha escola’, com excelente cadência e ótimas ‘levadas’ tradicionais!

Logo na abertura, a faixa título dá todo o teor do que virá pela frente! Pesada, com agressividade na medida certa e riffs matadores, ‘Under Jolly Roger’ nem precisaria dos tiros de canhão (sim, há tiros de canhão pela música!) para passar o recado!

A segunda faixa é “Beggar’s Night”, que com uma clássica levada de bumbos duplos e um excelente solo executado por Rock’n’Rolf Kasparek (frontman da banda), continua a manter o apreciador do bom Heavy Metal atento ao disco! Depois, duas músicas que certamente figuram entre as melhores deste petardo oitentista: “Diamons Of The Black Chest”, possuidora de um dos riffs mais pesados presentes nesse álbum e de um simples e ótimo solo, marca típica do Running Wild e “War In The Gutter”, um verdadeiro estimulante a sair batendo cabeça, com um refrão que é uma pedrada só!

A faixa seguinte é do tipo clássica, para levantar os fãs em um show: “Raise Your Fist”, que também possui um excelente refrão e um ótimo solo, dividido em duas partes (mais uma vez executado por Rock’n’Rolf). Depois de tanta nitroglicerina, o disco diminui um pouco o ritmo. “Land Of Ice”, como o nome sugere, carece da energia das demais, e é uma pisada no freio. Com uma cadência mais lenta, é forte candidata a ser severamente pulada para a seguinte, “Raw Ride”, outra martelada, introduzida por motores de motos furiosas, dotada de um belo solo dobrado! A faixa que encerra o disco começa com riffs fortes, palhetados como metralhadoras e em ritmo alucinante e mais um ótimo solo dobrado, finalizado por um tema que lembra um verdadeiro hino, uma celebração a todo o disco! Um final coerente para um álbum mais do que excelente!

Um disco de Heavy Metal que certamente pode e deve ser considerado um dos melhores desta banda e desta década!

Ano de lançamento: 1987

Gravadora: Sanctuary Records (relançamento)

Formação do disco:
Majk Moti. (lead guitar)
Rock’n’Rolf ( lead guitar and vocals)
Stephan Borisss (bass)
Wolfgang “Hasche” Hagemann (drums)

Produtor: Rock’n’Rolf

2 comentários:

Tetê!!! disse...

Ótima resenha, ótima escolha de banda, bem como de cd!!!
A escolha dos clássicos dessa sessão está excelente!
Parabéns à tds!
Abç!

MARCELO METAL disse...

BAGACEIRA RAW RIDE!!!!!!!!!!!!!